Arquivo: Edição de 27-09-2013

SECÇÃO: Generalidades

COISAS SIMPLES, OU NÃO! (30)

Comportamentos

foto

Saramago escreveu um dia que “dentro de nós há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que nós somos”.
Respeitando o “não tem nome” do escritor, eu filosofo argumentando que o que somos é o fruto das atitudes ou comportamentos que controlam as nossas vidas.
Se a minha atitude é positiva, alegre e sobretudo se vai promovendo o meu semelhante, é porque controlo a vida que vivo, sinto-me útil e sou feliz. Se sou pessimista, triste e se não facilito o outro, a minha vida tem pouco sentido e posso, inclusivamente ser estorvo d’alguém. Mais: atitudes ou comportamentos de pouco ou nenhum sentido, afectam o corpo e a alma que queremos sã, passando a doentes.
Pode o homem ser muito inteligente: compreende muito, aprende facilmente e torna-se num grande orador, filósofo e convincente no que de cima do palco expõe. Mas o homem sábio, o de pensamentos positivos, o homem que sabe limar o que à sua volta pasma e arranha, é homem de vigilância constante, de carácter, de estudo quotidiano e nunca precisa que lhe soem: “pára, escuta e olha”.
Há pessoas sensíveis, realistas e existem os naturalmente frios ou indiferentes. A forma como se encaram as diversas situações da vida, muito depende da sabedoria, do estado de espírito ou das lentes que cada um usa. Logo, poder-se afirmar que a forma como cada um resolve a vida é tal qual como a sente.
Para os simples, para os que buscam o melhor, para os que creem que aprender é ação de todos os dias, em caso de dúvida ou desconhecimento perguntam a quem sabe, a quem tem dado provas ou testemunho de dar o melhor ao outro.
Admiro os homens de carácter, de sã personalidade e de ação.
Nos fracos, além da dor que meus olhos por eles testemunham, uma atitude em muitos, me impressiona sem os poder ajudar: é quando necessitam de humilhar os outros para se sentirem fortes!
Já não sou jovem. Sou suficiente amadurecido para saber escolher o bem e praticá-lo, bem como sei (também) o que Deus espera de mim, mesmo não tendo nada, mas procurando sendo com Ele.
Relacionamentos, atitudes ou comportamentos tóxicos, impedem qualquer “inteligente” de crescer. Tais normas de vida são fábricas de paralisia cerebral, de pasmo que rapidamente passa a crónico, de cancro social onde tantos choram e onde muitos nunca chorarão por nós, mesmo pensando que se cuida deles.
Na verdade há pessoas estranhas, de atitudes e comportamentos pobres, que identificam uma estranha mas verídica vida.
Procure o homem, nas suas atitudes ou comportamentos, ser sábio e santo, uma vez que tal riqueza nunca os tiranos a podem expropriar.

Por: Artur Soares
(soaresas@sapo.pt)

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.