Arquivo: Edição de 28-06-2013

SECÇÃO: Generalidades

SER SAÚDE

Termas Portuguesas

foto
Certamente que já ouviu falar das Termas e dos seus tão divulgados benefícios nas diferentes doenças e patologias. Mas afinal, será que é mesmo verdade que ajudam no tratamento de algumas doenças? E qual será a sua forma de atuação no corpo humano?
De facto, as Termas ajudam no tratamento de variadas doenças. Toda a ação terapêutica das Termas assenta nas propriedades físicas e químicas da Água Termal, que é uma água mineral natural. Por outro lado, assenta no princípio que proporciona às pessoas a reposição do equilíbrio orgânico, funcional e mental através de duches, banhos, massagens, saunas, etc.
As águas minerais naturais são as que, por qualquer especificidade físico-química, se distinguem da água “normal” de uma dada região. As propriedades distinguíveis mais frequentes são a mineralização (águas hipossalinas, sulfúreas, gasocarbónicas, sulfatadas, bicarbonatadas e cloretadas) e as temperaturas elevadas a que algumas águas “nascem”.
O tratamento termal pode definir-se como um conjunto de técnicas dirigidas para facilitar o contato entre a água mineral natural e outros meios complementares, e a pessoa suscetível de ser tratada – o aquista. Este tratamento deve ser prescrito por um médico e dirigido para as doenças de cada um.
Eis alguns exemplos de Estâncias Termais que existem em Portugal e as suas áreas de intervenção terapêutica:
Caldas da Rainha – Artroses, Reumatismos Inflamatórios (Artrite Reumatoide, Espondilite Anquilosante), Gota, Sequelas Pós-Traumáticas, Sinusites, Rinites Crónicas, Laringite Crónica, Bronquite Crónica, Asma Brônquica.
Cró, na Guarda – Doenças músculo-esqueléticas e reumáticas, doenças do foro respiratório e doenças de pele como psoríase, eczema, ulceras varicosas e acne.
Curia, em Anadia – Doenças metabólico-endócrinas como diabetes. Cálculos e infeções urinárias, hipertensão arterial, e doenças reumáticas e músculo-esqueléticas.
Gerês – A água é ingerida e produz efeitos sobre o bem-estar geral dos aquistas, sobre todo o organismo, uma vez que atua ao nível da regeneração das células. Especialmente eficaz no tratamento de doenças do fígado, vesicula, obesidade, diabetes e hipertensão arterial.
Luso – Doenças cronicas do aparelho urinário, hipertensão arterial, perturbações do metabolismo e do aparelho locomotor, afeções respiratórias crónicas e patologia da pele.
Monfortinho – Doenças crónicas da pele, fígado e vesicula, gastrointestinais, reumáticas, das vias respiratórias e cálculos renais.
Em Guimarães e Vizela, temos as Caldas das Taipas e as Termas de Vizela, tendo a primeira indicações terapêuticas associadas ao tratamento de doenças do aparelho respiratório das vias aéreas superiores, reumáticas, músculo – esqueléticas e da pele. As principais indicações terapêuticas das Termas de Vizela são o tratamento de reumatismos crónicos, afeções neurológicas e traumáticas e também doenças crónicas das vias respiratórias e ainda doenças de pele.
Estes são apenas alguns exemplos. Existem neste momento, em Portugal cerca de 38 estâncias termais, todas elas com propriedades únicas. Muitas delas permitem aos aquistas usufruir simultaneamente dos aspetos lúdicos, turísticos e terapêuticos.

Dr. Nuno Pereira de Sousa
Médico de Saúde Pública

Outras Notícias

Outras Notícias da secção Generalidades
· Quem disse? (57)

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.