Arquivo: Edição de 22-02-2013

SECÇÃO: Generalidades

COISAS SIMPLES, OU NÃO! (25)

PROGRAMAR BEM

foto
Sempre advoguei, e a experiência da vida tem-me confirmado, que (todo) o futuro do homem deve ser programado com base no passado e no momento presente, para ser mais eficaz, para haver menos hipóteses de erro. Nessa ação, nesse trabalho, nesse programar o futuro existe ainda um dom indispensável ao programar: a realidade e sobretudo humildade. Por isso afirmou muito bem Thomas Eliot: “a única sabedoria que podemos esperar e confiar é a sabedoria da humildade”.
Tem-me ensinado a vida que o tempo é demasiado importante para se desperdiçar. Na verdade já não estou na idade de estudar nada. Agora, os outros que me estudem se valer apena e, se o que digo e escrevo, merecer.
Tem de haver tempo para fazer-se algo que a sociedade acolha, admire e beneficie. Nos Estados Unidos da América sempre se dirigiu a pergunta aos mais distraídos, aos mais madraços: “que fazes ou o que tens feito pela América?”
O que o homem tem e o que vê foi-lhe dado para usufruir, estimar e distribuir sem nunca ter o direito de esconder, de sonegar.
As palavras são indispensáveis na vida, para, conjuntamente com os outros programar-bem e com todo o êxito possível.
As oportunidades são outro acontecimento a ter em conta, a defender, a explorar e a tirar as devidas vantagens para o homem e para a comunidade. Desse modo, o futuro tem muitos nomes: para os fracos é o inalcançável, para os temerosos, o desconhecido e, para os sábios é a oportunidade
Quem tem dificuldade em programar a vida, as coisas e é pobre em palavras, em tempo e se nunca vê as oportunidades, nunca será autónomo e livre.
Nesta azáfama da vida, no tempo curto que se sente, neste odor que se respira de que quem chegar atrasado fica derrotado, não podem ser idosos os líderes, uma vez que em tudo, para eles, o limite de velocidade deixou de ser problema. Há exceções, pois claro, e se nem todos servem para tudo, todos servem para alguma coisa.
Aos responsáveis ou líderes de qualquer trabalho, ação, entre outros, importa ter noção das competências e capacidades; nunca desvalorizar; debilitar, dispersar ou dispensar ninguém; ser sério com todos e convencerem-se que a qualquer momento na vida do homem, das vilas ou cidades, muito pode ter de ser alterado.
Assim, pelo que se pensa e se expõe, concluir-se-á que tanto na religião, na política, no desporto, como em tudo, só têm sucesso os que acreditam, os que bem programam e os que conhecem o caminho para a meta. Tantos, infelizmente, ao pensar que tudo são simples coisas e que o tempo resolve, nunca passarão de elementos de terceira, duma segunda categoria no meio da vida.

Por: Artur Soares
(soaresas@sapo.pt)

Outras Notícias

Outras Notícias da secção Generalidades
· Dia dos Namorados

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.