Arquivo: Edição de 30-06-2006

SECÇÃO: Generalidades

Inventariação do Património da Igreja no Arciprestado de Guimarães e Vizela e na Arquidiocese de Braga

foto
Desde há cerca de doze anos que a arquidiocese de Braga decidiu tomar a sério a inventariação do seu património documental, religioso e artístico.
Não sendo uma preocupação nova, pois sempre foi reclamado aos párocos, conselhos económicos e Órgãos gerentes das Associações e Instituições a inventariação dos bens no início dos respectivos mandatos, todavia, desde então, através do Instituto de História e Arte Sacra, de tentativa em tentativa, parece ter-se encontrado o caminho que possa resolver satisfatoriamente esta necessidade premente.
Para além de contabilizar peças, alfaias mais ou menos valiosas, documentos e obras de arte, cada vez há mais consciência de que é necessário, preservar, defender e mostrar o património da Igreja. Reconhece-se, por outro lado, que esta é uma forma excelente de comunicar e evangelizar.
No passado dia 12, o presidente do Instituto de História e Arte Cristã (IHAC), que é o vimaranense, cónego Doutor José Paulo Abreu, esteve n Colegiada para apresentar o projecto de inventariação em curso que irá até Junho de 2007.
Este projecto contempla oito instituições da arquidiocese de Braga, três das quais são do arciprestado de Guimarães e Vizela, a saber: Igreja de Nossa Senhora da Oliveira, Igreja de S. Domingos e Igrejas dos Santos Passos: é coordenadora a directora do Museu de Alberto Sampaio, Drª. Isabel Fernandes.
O Investimento custará 168.907,78 euros e tem a comparticipação FEDER (126.680,83 euros) e o investimento da Arquidiocese de Braga (42.226,95 euros).
Ao submeter o projecto à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Note, o cónego José Paulo Abreu, que também é director do Museu Pio XII, propriedade da arquidiocese, revelou que a inventariação do património tem também a finalidade relevante de criação de uma base de dados que ficará alojada naquele Museu.
Os mecanismos informáticos permitirão, foi dito, que o espólio artístico e documental não seja “devassado” e que cada instituição disponha de um quiosque multimédia para apresentar ao público o que lhe diz respeito.
No mesmo dia, a mesma apresentação fora feita em Braga sob a presidência do Arcebispo Primaz e a “campanha de sensibilização”, conforme anunciou o cónego José Paulo é para intensificar.
O projecto em causa contempla ainda a edição de numismática do Museu Pio XII, a igreja de Nossa Senhora da Oliveira, Santos Passos e S. Domingos (em Guimarães), a matriz da Póvoa de Varzim e das Caxinas (em Vila do Conde) e ainda a igreja matriz e o museu de arte sacra de Vila do Conde. Cada edição terá mil exemplares.
O projecto contempla também a criação de uma página na Internet e a edição de sete mil e quinhentos desdobráveis referentes às igrejas inventariadas, com textos em português, inglês, francês e castelhano.

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.