Arquivo: Edição de 30-12-2005

SECÇÃO: Região

D. Maria Manuela de Melo Costa

Sócia honorária do Lar de Santo António
O Lar de Santo António, antiga Casa dos Pobres de Guimarães, sito na Urbanização do Salgueiral, freguesia de Creixomil, é uma Instituição Privada de Solidariedade Social que ganhou, no universo das instituições congéneres do concelho, uma particular simpatia graças à herança que recebeu de ser resposta às solicitações dos famintos e sem abrigo. Era esta a função da Casa dos Pobres.

foto
A atestar esta vocação está o Centro de Dia na rua Donães, onde são servidas diariamente dezenas de refeições a pessoas carenciadas e marcadas socialmente por diversos tipos de pobreza, e que mantém com bastante procura um serviço de banhos.
Desde sempre esta instituição foi servida por pessoas abnegadas, que, no final da década de sessenta, se preocuparam em dotá-la de meios adequados quer de instalações, quer de pessoal qualificado, à missão que se propõe: servir com dignidade.
Um passo de gigante foi dado com a aquisição da quinta do Salgueiral que surgiu após duas tentativas frustradas, uma que apontava para uma construção de raíz na freguesia de Arosa, deste concelho e outra na transformação de uma casa brasonada dentro do Centro Histórico.
Nestes processos alguns vimaranenses, por nascimento e por adopção se empenharam para que o Patrono, então eleito, Santo António fosse honrado da melhor maneira.
Em 25 de Março de 1983, em pleno processo de recuperação e adaptação da Casa do Salgueiral, surge uma mulher D. Maria Manuela de Melo Costa para presidir aos destinos da instituição. Eleita no pleno sentido da palavra, porque escolhida em votação, mas também pelas suas virtudes e qualidades. A ela se deve em grande parte, o alto nível que atingiu o Lar de Santo António.
Tendo terminado há pouco tempo o seu último mandato a actual Direcção quis vincar bem o nome desta Senhora ao historial do Lar de Santo António, atribuindo-lhe a distinção de Sócia-honorária.
O actual presidente da Direcção, António Augusto Duarte Xavier, em Assembleia Geral de 13 de Dezembro de 2005, submeteu à apreciação dos associados esta proposta que foi aceite por unanimidade e aclamação.

Fundamentação
A associada com o n.° 60, Dona Maria Manuela Folhadela de Melo Costa Guimarães foi eleita como Presidente da Direcção do Lar de Santo António em Assembleia Geral no dia 25 de Março de 1983.
Sem perda de tempo direccionou a sua máxima atenção ao saneamento financeiro pois era dos problemas mais prioritários da Instituição, conseguindo com o rigor que se impunha ultrapassar as dificuldades encontradas.
Constatou que a sede se encontrava em muito más condições e por conseguinte muito próximo de ruína e logo aí lhe surgiu a ideia da mudança. Do pensamento ao acto surgiu o edifício do Salgueiral, uma habitação antiga em reconstrução e com um projecto considerado inviável, por deficiências encontradas no mesmo, assim como diversos problemas de ordem burocrática. Alguns destes obstáculos foram resolvidos com a colaboração do Arquitecto que dava apoio à Instituição e outros desbloqueou, nomeadamente o existente com a Segurança Social, com quem existia um diferendo complicado.
Alterado o projecto e posteriormente aprovado, ficaram finalmente criadas as condições para a concretização da obra o que se verificou.
Aproveitando a projecção social adquirida, através da sua vivência familiar, moral, intelectual e empresarial conseguiu com os conhecimentos que daí advêm, arranjar donativos e comparticipações importantes e imprescindíveis à concretização do que, na época, foi considerado um sonho, sonho este que se concretizou no ano de 1985 ao proceder à inauguração do Lar de Santo António.
Depois desta grande façanha, revitalizou os apoios sociais, já em decadência, que se prestavam à comunidade através dos Serviços Sociais de Donães, com a criação de melhoria nas condições, que se traduziram num apoio diário mais eficaz a 50 (cinquenta), utentes com vários graus de necessidades, nomeadamente distribuindo as quatro refeições diárias (peq. almoço - almoço - lanche e jantar), assim como dando a cada uma a possibilidade de tratamento da higiene pessoal.
Instituiu ainda em Donães um Centro de Dia de apoio à população idosa e carenciada, residente no Centro Histórico, equipamento Social reconhecido e considerado de grande impacto naquela zona da coroa da cidade de Guimarães.
Com visão superior introduziu uma nova valência (pioneira) para apoio aos utentes acamados, ampliando as instalações físicas do edifício do Salgueiral, a que se denominou “Samaritano”, dotando-o dos melhores equipamentos de saúde, lazer e bem-estar.
Construiu um edifício de raiz onde instalaou, uma Clínica de Medicina Física e Reabilitação, que se denominou “Fisilar” e ultrapassando o impossível, conseguiu o necessário “Alvará” através do seu empenhamento. Apetrechou esta Clínica com todo o equipamento necessário ao seu bom funcionamento para apoio dos utentes do Lar e que se traduziu numa mais valia nos serviços de reabilitação de utentes acamados.
A concessão deste difícil alvará, permitiu ainda o desenvolvimento de parcerias com a, ARS (Administração Regional de Saúde), no âmbito de apoio aos beneficiários deste organismo.
Superando tudo o mais, foi a sua entrega e fervor humanista aos utentes, em especial aos carenciados, tornando-se digna de que esta Instituição a agracie com a qualidade mais alta atribuída a associados.

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.