Arquivo: Edição de 22-03-2019

SECÇÃO: Generalidades

Mês Internacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância

foto
O mês de abril, desde o início do século XXI, é assinalado como o Mês Internacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância em muitos países, tendo como simbologia o laço azul, e é dirigido para informação e sensibilização da Comunidade em geral.
O “Movimento Laço Azul” nasceu em 1989, na Virgínia, Estados Unidos e rapidamente ganhou dimensão mundial. Este movimento conta a história de Bonnie W. Finney que, devido aos maus tratos que os seus netos sofriam, tomou a iniciativa de colocar uma fita azul na antena do seu carro, de modo a demonstrar o seu sofrimento e «para fazer com que as pessoas se questionassem». As crianças tinham sido maltratadas pela mãe (filha de Bonnie) e o seu namorado e uma das crianças terá morrido vítima das agressões.
Porquê Azul? O azul representava as nódoas negras espalhadas pelos corpos das crianças.
As diferentes iniciativas que se promovem, ao longo deste mês, têm como objetivo a consciencialização da comunidade para a importância da prevenção dos maus-tratos na infância, das escolas e entidades com competência em matéria de infância e juventude e a intensificação/sensibilização às famílias no que diz respeito à parentalidade positiva.
Sabemos, realmente, o que são maus-tratos? Os maus-tratos em crianças e jovens dizem respeito a qualquer ação ou omissão não acidental, perpetrada pelos pais, cuidadores ou outrem, que ameacem a sua segurança, dignidade e desenvolvimento biopsicossocial e afetivo.
Existe uma multiplicidade de situações que consubstanciam a prática de maus-tratos: negligência (inclui abandono e mendicidade), mau-trato físico, abuso sexual, mau-trato psicológico/emocional e Síndroma de Munchausen por Procuração.
No entanto, há muitas outras situações de negligência que afetam psicologicamente a evolução harmoniosa e saudável das crianças: quando negamos o colo e o carinho a uma criança, quando a proteção em excesso afeta o seu desenvolvimento equilibrado, quando a criança está exposta a situações de violência doméstica entre os seus pais e outros familiares, quando a criança é alvo da batalha entre pais, como por exemplo em situação de divórcio, quando não lembramos o seu aniversário, quando a culpabilizamos por tudo o que acontece no seio familiar, quando não perguntamos como correu o dia na escola, quando não dispensamos alguns minutos do dia para a mesma, entre outros.
Todos somos responsáveis! Todos podemos prevenir e atuar!

Principais Serviços de Apoio e Aconselhamento para
Crianças e Jovens – Guimarães

Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Guimarães
Tel. 300 400 411 - cpcj.Guimaraes@cnpdpcj.pt
PSP de Guimarães - 253 540 660
GNR Destacamento Territorial de Guimarães - 253 422 570
Ministério Público (Secção de Família e Menores) - 253 439 530

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.