Arquivo: Edição de 29-07-2016

SECÇÃO: Informação Religiosa

Jubileus sacerdotais e novos diáconos
Arciprestado de Guimarães e Vizela

Na vida de todos os cristãos, a seguir ao dom incomparável da vida, vem a eleição para membro da família de Deus e, por isso mesmo, expressão e prolongamento do próprio Cristo. Pela graça do batismo, manifestada na fé da Igreja, a alma do crente adquire uma capacidade sem limites para sentir verdadeiramente a sua condição de homem novo e cumprir a missão de cristificado. É por isso que, na agenda das coisas importantes que, ao longo do ano celebramos, o dia do batismo deveria ocupar a relevância que merece.
Participantes que são todos os batizados do sacerdócio real de Cristo, não deveríamos também permitir que passem ao lado momentos fortes de ação de graças daqueles que foram chamados ao sacerdócio ministerial de Jesus Cr isto. Por este dom, eles foram constituídos mensageiros da Palavra e administradores do plano redentor de Jesus, o qual, pela obediência e resposta dos sacerdotes, se torna sempre atual no tempo e em todos os lugares. O dia da ordenação sacerdotal é, de facto, muito significativo e querido para todos os sacerdotes. É bem justo, porém, que sejam reconhecidas algumas etapas do percurso, representativas de outros momentos íntimos de ação de graças e de fôlego e alento para serem até ao fim a imagem do Bom Pastor.

Na vida de todos os cristãos, a seguir ao dom incomparável da vida, vem a eleição para membro da família de Deus e, por isso mesmo, expressão e prolongamento do próprio Cristo. Pela graça do batismo, manifestada na fé da Igreja, a alma do crente adquire uma capacidade sem limites para sentir verdadeiramente a sua condição de homem novo e cumprir a missão de cristificado. É por isso que, na agenda das coisas importantes que, ao longo do ano celebramos, o dia do batismo deveria ocupar a relevância que merece.
Participantes que são todos os batizados do sacerdócio real de Cristo, não deveríamos também permitir que passem ao lado momentos fortes de ação de graças daqueles que foram chamados ao sacerdócio ministerial de Jesus Cristo. Por este dom, eles foram constituídos mensageiros da Palavra e administradores do plano redentor de Jesus, o qual, pela obediência e resposta dos sacerdotes, se torna sempre atual no tempo e em todos os lugares. O dia da ordenação sacerdotal é, de facto, muito significativo e querido para todos os sacerdotes. É bem justo, porém, que sejam reconhecidas algumas etapas do percurso, representativas de outros momentos íntimos de ação de graças e de fôlego e alento para serem até ao fim a imagem do Bom Pastor.
Nesta linha e pela responsabilidade que temos de ser eco do arciprestado de Guimarães e Vizela, associamo-nos à celebração dos jubileus sacerdotais de seis sacerdotes e naturalmente às comunidades mais diretamente afetas pelo exercício do seu ministério.
Não cabe na nossa intenção descrever o curriculum de qualquer um deles, tanto mais que, chamados a ser ministros (servidores) até ao fim, as marcas que vão ficando pelo caminho não são outra coisa senão a manifestação do propósito de fazer da vida um Sim constante, cujo eco não tenha ocaso.
Bodas de diamante (60 anos)
Padre Carlos Hermenegildo de Carvalho Mesquita, capelão e reitor da igreja da venerável Ordem Terceira de São Francisco, ordenado em 8 de julho de 1956.

Bodas de ouro (50 anos)
Padre Adelino Sousa Rosas, pároco de Santa Maria de Infias e S. Martinho do Conde.
Padre Américo Pinto Ribeiro, pároco de Santa Eulália de Nespereira.
Padre António Francisco Ribeiro, pároco in solidum de S. Miguel de Creixomil.
Padre José Manuel Ribeiro Pinto, pároco de S. Tiago de Lordelo.
Os quatro foram ordenados em 15 de agosto de 1966.

Bodas de prata (25 anos)
Padre Carlos Lopes de Sousa, pároco de Santa Marinha da Costa e capelão do Santuário de Nossa Senhora da Penha, ordenado a 28 de julho de 1991.

Novos diáconos
De entre os seis diáconos ordenados no passado dia 17, dois são naturais do arciprestado de Guimarães e Vizela. Motivo de júbilo para a grei vimaranense que, no âmbito da arquidiocese de Braga, ocupa lugar preponderante na oferta de sacerdotes para a Igreja.
O diaconado é o primeiro grau do sacramento da Ordem. Se tudo correr normalmente, no próximo ano serão ordenados sacerdotes.
São eles: Fernando Alberto Abreu Torres, de Guardizela que vai fazer estágio pastoral nas paróquias de Santa Maria e Sé Primaz, S. Tiago da Cividade e S. João do Souto, arciprestado de Braga;
José Pedro Vale Oliveira, de Tabuadelo, vai fazer o seu estágio pastoral na paróquia de Nosso Senhor dos Navegantes das Caxinas, arciprestado de Vila do Conde/Póvoa de Varzim.

foto

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.