Arquivo: Edição de 15-05-2015

SECÇÃO: Região

As Cruzes floridas de Cerzedelo

foto
A paróquia de Santa Cristina de Cerzedelo, no arciprestado de Guimarães e Vizela viveu nos dias 2 e 3 de maio a festa das Cruzes.
Durante o sábado as dezasseis cruzes familiares – de madeira, carvalho ou castanho, com 2 metros de altura e 3,5cm de espessura – foram asseadas com pétalas de flores naturais.
A exposição itinerante – As Cruzes floridas da missão, da autoria de Sara Lafuente e Ricardo Cardoso, que resulta da parceria entre a paróquia de Cerzedelo e os Missionários do Verbo Divino, regressou ao interior da igreja românica naquele fim de semana, integrando nesta os trabalhos dos alunos da escola secundária de Amares.
A (re)abertura da exposição contou com a presença do vereador da cultura da Câmara Municipal de Guimarães, José Bastos.
O dia do domingo foi repartido: a manhã totalmente preenchida com a celebração da eucaristia seguida da procissão do Senhor aos doentes.
Numerosa multidão de fieis tomou parte na majestosa procissão com a fanfarra do Agrupamento 84 do CNE e a banda filarmónica de Santa Tecla de Celorico de Basto a abrir caminho que este ano percorreu cerca de 8km para levar a 13 doentes a comunhão eucarística. Todo o percurso ficou embelezado pelos tapetes de flores ou de serrim tingido que envolveram uma grande parte da comunidade na sua elaboração. A persistência da chuva não conseguiu vencer o gosto e o empenho de quantos – alta madrugada – se levantaram para fazer florir as ruas e caminhos de Cerzedelo.
Igualmente naquela manhã de festa a Câmara Municipal se fez representar na pessoa do vereador dr Ricardo Costa, que tomou parte na grandiosa procissão.
Na tarde de domingo teve lugar a Via Lucis presidida pelo padre Luís Miguel Rodrigues, que à homilia deixou a interpelação da vivência cristã na alegria da Ressurreição.
Na celebração da tarde foi a vez de Paula Oliveira, vereadora da ação social, representar a Câmara de Guimarães.
O apoio à MISSÃO AMAR(ES) – um projeto, uma proposta de vida, como forma de responder ao principal objetivo da exposição missionária – As Cruzes floridas da missão, foi a maior novidade dos dias da festa.

MISSÃO AMAR(ES)
um projeto, uma
proposta de vida

Projeto do Clube da
Solidariedade e do
Voluntariado da Escola Secundária de Amares

O Voluntariado é, hoje, um movimento que mobiliza em todo o mundo um grande número de jovens e de adultos, sendo um instrumento de participação da sociedade civil nos mais diversos domínios de atividade. Esta prática não se restringe ao campo social, mas alarga-se à cultura, à educação, à justiça, ao ambiente, ao desporto e a outras dimensões do nosso quotidiano e tem vindo a responder às questões que continuamente emergem do tecido social, económico ou político.
Neste contexto, nasceu o projeto “MISSÃO AMAR(ES)” para os alunos do Ensino Secundário da Escola Secundária de Amares, que através de um conjunto de ações de interesse social e comunitário, realizadas de forma desinteressada pelos alunos, no âmbito de projetos sociais vários, procura além de incentivar o voluntariado em contexto escolar, ao mesmo tempo, promover o agir local e o pensar global. A Educação para o Voluntariado acaba por ocupar, deste modo, um lugar ímpar na preparação integral dos alunos e ajudá-los a construir uma identidade pautada no bem comum.
Acreditamos que sempre que uma instituição educativa promove atividades de voluntariado, mediadas e animadas pela escola oferece aos seus alunos a oportunidade de participar ativamente na construção de uma sociedade mais coesa e mais solidária.
Partindo das experiências realizadas e da formação adquirida ao longo do Ensino Secundário, desejamos incutir nos alunos que participam no Clube da Solidariedade e do Voluntariado da Escola Secundária de Amares um espírito de partilha e experiências globais, nomeadamente em contextos de países em vias de desenvolvimento e, preferencialmente, de língua portuguesa. Assim, quisemos que o projeto “MISSÃO AMAR(ES)” desse uma oportunidade aos alunos de realizarem uma experiência de voluntariado internacional. Neste caminhar contínuo, desejamos poder realizar nossa experiência neste ano de 2015, em São Tomé e Príncipe.

Bernardino Silva
Professor coordenador do Projeto “MISSÃO(ES)”
Responsável do Clube da Solidariedade e do Voluntariado
Escola Secundária de Amares

O pároco de Cerzedelo, padre José Ferreira Marques e o provincial dos Missionários do Verbo Divino, padre António Leite, assinaram, ainda, na manhã de sábado, uma carta para endereçar ao Papa Francisco num gesto de partilha e de louvor com o propósito de dar continuidade à missão.

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.