Arquivo: Edição de 14-11-2014

SECÇÃO: Região

“Guimarães a Cantar” e a Encantar

Realizou-se no passado, dia 25 de outubro, o XXIV Festival “Guimarães a Cantar”, no Auditório da Universidade do Minho.
Em sintonia com o «Ano Social», criado pela Arquidiocese de Braga, a Pastoral de Jovens do arciprestado de Guimarães e Vizela lançou uma vez mais o concurso de música de mensagem de inspiração cristã, este ano subordinado ao tema “nenhum coração é uma ilha”, promovendo a união profunda entre a fé e a caridade.
Nesse espírito de partilha, de música e de Palavra, durante a noite, passaram pelo palco seis grupos, concorrendo aos prémios de melhor letra, melhor música, melhor interpretação, 1.º, 2.º e 3.º prémios. Foram eles os grupos Maranatah (Penselo), Voar Mais Alto (Selho S. Cristóvão), Acreditar (Ronfe), Jovens Unidos na Alegria (J.U.N.A., Nespereira), VOA (Nossa Senhora da Conceição) e Flor de Lis (Ronfe). O grupo vencedor da noite acabaria por ser o estreante e entusiasta VOA (Nossa Senhora da Conceição) com o tema “Partilha”, conforme a escolha do júri constituído pelo Padre Tiago Freitas, (chefe de gabinete do sr. arcebispo primaz de Braga), representando a arquidiocese de Braga; a dra. Alzira Fernandes, da Fundação de Sicar, professora aposentada e mestre em Ciências Religiosas; e o dr. António Jacinto Teixeira, presidente do Rotary Club de Guimarães, distinto advogado a exercer na nossa cidade, licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra e co-fundador do Coro de Pais do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, de Braga.

foto
A abrilhantar a noite estiveram ainda os músicos e artistas vimaranenses Zé Miguel, Mafalda Portilha e Filipe Monteiro (Escola Secundária Martins Sarmento), Trio de Facto (Filipe Costa, Zé Miguel e Ricardo Frade), Teatro de Ensaio Raúl Brandão (Elvira Oliveira, Cesarina Oliveira, Mariah Li e Luísa Maria F., do Círculo de Arte e Recreio), Ana Silva e Paulo Rodrigues e a Orquestra Juvenil de Pevidém, dirigida pelo Maestro Vasco Silva de Faria.
Um dos pontos altos da noite, amplamente sublinhados nos discursos do dr. Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, e de D. Francisco Senra, bispo auxiliar de Braga, foi a atuação dos clientes, pais e colaboradores da Associação de Paralisia Cerebral de Guimarães (APCG), para a qual reverteram 780€, correspondentes a 50% da receita de bilheteira do espetáculo. O presidente desta instituição, Joaquim Oliveira, agradeceu não só o donativo, como a possibilidade de a cidade e a Igreja contribuírem para uma causa tão nobre como o apoio a pessoas portadoras de deficiência.

Por, João Miguel Ferreira

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.