Arquivo: Edição de 08-02-2013

SECÇÃO: Informação Religiosa

Quaresma

Revisão de vida e Conversão

Tal como acontece nos ritmos da natureza e especialmente da via no seu todo, em que se verificam movimentos que se repetem e que reclamam aqui e ali alguma atenção particular, também na componente espiritual do homem é indispensável uma consideração atenta e permanente. É importante um exercício cuidado e constante de avaliação dos sintomas e melhor ainda, um propósito firme de prevenção. A saúde do espírito e da mente garantirão equilíbrio de vida e fonte de alegria.
Os cristãos, minimamente atentos, têm ao seu dispor, na roda do ano, propostas inestimáveis para experimentarem, semana a semana, a força do ritmo imposto pela liturgia, que, apreciada e vivida, lhes permite, primeiro, um encontro sério consigo mesmos, seguido de uma relação mais intensa com Deus, dador de todos os bens.
O tempo litúrgico da Quaresma é, neste contexto, verdadeiramente singular. Balizada precisamente pelo convite ao reconhecimento da nossa condição natural frágil e pecadora e, simultaneamente, apontando para a conversão à Boa Nova (Quarta-feira de Cinzas) e pela celebração do Tríduo Pascal, expoente infinito da misericórdia de Jesus Redentor, é verdadeiramente tempo incomparável de graça e, por isso, de abertura total e de decisões inadiáveis.
Tão perto de nós está o nosso bom Deus, tão rica é a torrente de amor e misericórdia que dimana dos sinais conferidos por Jesus Cristo à sua Igreja, que não se deverá deixar passar ao lado esta oportunidade única. Assim como não é possível contemplar a magia de uma noite de luar de janeiro ou agosto, banhados pela luz artificial e toda a espécie de atrativos, fúteis, grande parte deles, sem subir à colina, do mesmo modo é imperioso parar para fazer, com generosidade e autenticidade, a revisão de vida. Como se tratasse de consulta ao médico e levando a preceito a realização de exames complementares de diagnóstico.
Em atitude de verdade, não há vez para incoerência e contradições de vida; estar fora do processo, pensando que ainda se está dentro; apresentar a identidade, no mínimo incompreensível de católico não praticante, uma espécie, como alguém dizia, de bicicleta sem pedais.
Só pela conversão é que encontraremos a plataforma segura para experimentar a alegria do reencontro e a pista iluminada para as alegrias pascais. Neste ponto é de realçar também o sentido gratificante da liberdade. E pensarmos nós que, de uma maneira geral, andamos subjugados por tantas imposições dolorosas e constrangidos pelo medo, quando a conversão, que é mudança de mentalidade, coragem para agir coerentemente, de acordo com a consciência iluminada pela fé, é o caminho mais fácil e eficaz para uma vida feliz e convivência fraternal!
Quaresma, tempo de escuta, acolhimento dos sinais de salvação e mudança de vida.

Lima de Carvalho

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.