Arquivo: Edição de 25-02-2011

SECÇÃO: Generalidades

COISAS SIMPLES, OU NÃO! (5)

foto
A MENTIRA
1. - No clube dos mais atentos ou dos pensadores, afirma-se que a mentira é (muito) ligeiramente mais nova do que o homem. Compreende-se, pois primeiro fez-se o homem e em seguida surgiu a mentira.
E sabe-se que toda a humanidade mente. Mente-se às crianças, aos idosos sobretudo, mente-se nas ruas, nos parlamentos, na política, na rádio, na televisão, nos filmes e em todos os locais onde existe “homem”. Mentir é falsear a verdade, o pensamento e visa o prejuízo a outrem. Mentir é provocar danos naturais e danos sobrenaturais. O próprio Cristo foi vítima da mentira e o apóstolo Paulo recomenda: “Por isso, deixando-vos da mentira, dizei a verdade ao vosso próximo, pois todos somos membros uns dos outros” (Ef. 4, 25).
Mentir é ser infiel a alguém, é não ter respeito algum pela verdade.
Para que exista mentira, é necessário a existência de algo ou de alguém.
A mentira, normalmente, tem algo de verdade e esta também pode ter a sua dose de mentira.
As crianças com menos de cinco anos, normalmente nem mentem nem dizem a verdade. Apenas falam, falam! Após essa idade, a criança pode mentir, sobretudo se mal formada ou mal amada.
Mente-se por medo, por fraqueza, por necessidade, por jactância cínica, por prazer, por ignorância, por desarmonia psíquica e por conflitos com o mundo externo.
E no dizer de Papini, “todos os dias usamos moedas falsas e todos os dias nos fazem pagamentos com dinheiro falso”.
Também existem as chamadas “santas mentiras ou mentiras piedosas”: quando se vê uma pessoa de aspecto “mais pra lá” do que “pra cá”, costumamos dizer-lhe: “…mas olhe que está com bom aspecto”! Mente-se com tanta facilidade como fazer-se uma refeição. A mentira, enquanto existirem homens, provocará sempre, sempre, o prejuízo dalguém e jamais será cadeada ou abatida.

… E O SONHO

2. - Sonhar durante o sono, pode ser aflitivo e tornar-se em anti-descanso. E se acaso é um sonho com “vivência” alegre em corpo inocente, porque adormecido, tal, não passou de uma invasora simpática que empurrou o cérebro para uma cadeia, embora cadeia sem guardas. A mentira, que é sentida e vivida por cérebros não adormecidos, pode ser apagada e reposta a verdade a qualquer momento.
Sonho e mentira, entram abusivamente na vida das pessoas, no cérebro e, cada um a seguir tem de ter a capacidade de acordar e de se repor perante a vida real existente.
O sonho acontece porque o cérebro não pode estar inactivo: pensa, trabalha. Mas que pode ser incomodativo e cadear o descanso pode. E se se desenvolver “pesando” cada vez mais, é de loucos!
Pretendem uns, julgar a mentira na praça pública e nos tribunais. E outros pretendem prendê-la. Mas o sonho humano, à excepção dos sonhos sobrenaturais, pode ser nocivo, mais mentiroso que a mentira e, de facto, sim, deviam prender os sonhos, que não passam de uns noctívagos e de uns loucos vadios. O sonho provoca a aceleração das ondas electroencefalográficas da pessoa, existem nele as descargas de adrenalina, provoca alterações vegetativas e pode o corpo ter de se arrastar, desassossegado, em cima do colchão, etc.
Mas serão os sonhos fruto de desejos insatisfeitos ou de vidas e atitudes reprimidas?
Seja o que for, o sonho será sempre atrevido, fantasioso, mentiroso até à medula da sua estrutura e, o pior ainda, estará sempre ausente da vida real, conforme se constata ao acordar. Por isso, a prender, prendam-se os sonhos, que mais mentirosos são.

por: Soares da Silva

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.