Arquivo: Edição de 26-09-2008

SECÇÃO: Informação Religiosa

Grande Peregrinação à Penha

No dia 14 de Setembro, solenidade da Exaltação da  Santa Cruz, realizou-se a grande Peregrinação do arciprestado de Guimarães e Vizela ao Santuário da Penha.

foto
Milhares de peregrinos de todas as paróquias do arciprestado caminharam rumo ao santuário de Nossa Senhora do Carmo da Penha. A  Peregrinação atingiu o seu ponto mais alto  na celebração da eucaristia, este ano presidida pelo Arcebispo Primaz de Braga e concelebrada por várias dezenas de sacerdotes.
Diversas instituições  e associações de fiéis do arciprestado e, até de fora deste, bem como entidades civis associaram-se à Peregrinação.
D. Jorge Ortiga iniciou a sua homilia afirmando que a Peregrinação não pode ser um acto isento de qualquer intenção e, de imediato, situou os fiéis na vivência da solenidade litúrgica da exaltação da Santa Cruz e na celebração do Ano Paulino (29 de Junho/08 e 29 de Junho/09).
A referência  clara ao Apóstolo Paulo conduziu a reflexão do Arcebispo Primaz à manifestação de realidades concretas na vida de todo o povo.
Com muita clareza, pertinência e oportunidade o Prelado disse que:
Permitam-me que convosco olhe para duas realidades muito concretas: a violência doméstica e a onda de insegurança provocada por assaltos violentos com roubos mesmo que à custa da morte de inocentes. Necessitamos duma legislação mais dura e de agentes mais disponíveis e preparados.
Só que isto pode ser uma ilusão para gastar mais dinheiro do erário público. Tudo é importante e imprescindível. Só que a exaltação, ou seja, a eliminação destas cruzes só acontecerá através da aposta numa formação verdadeiramente humana onde os valores emergem como testemunho e condenação de comportamentos errados. Necessitamos de homens e mulheres novos onde resplandeça um humanismo integral que não se envergonha da transcendência para nos aceitarmos como irmãos que reconhecem o bem ou o mal feito aos outros como bem e mal feito a si mesmo. Só esta regra de ouro que destrói individualismos exagerados e conduz ao respeito pelo alheio, ao reconhecimento do valor sagrado da vida, à procura dum trabalho com salário justo e como direito para todos e à interpretação duma solidariedade activa que cria condições de vida digna para todos.
foto

“Tomar conta da Palavra de Deus para nos encontrarmos com ela”, foi uma das interpelações  do Arcebispo Primaz que apontou a falta de valores evangélicos nesta  sociedade do medo e da injustiça e disse que “a única coisa válida que a Igreja tem para oferecer à sociedade de hoje é a Palavra e tudo o resto se deve orientar neste sentido. As paróquias renovam-se pela Palavra. Os Santuários cumprem a sua razão de ser se privilegiam este cuidado e trabalho. Tudo vale desde que conduza a esta finalidade”.
A terminar a reflexão, o Arcebispo Primaz de Braga, pediu mais uma vez, que os santuários assumam, desde já, a sua principal missão: anunciar a Palavra de Deus.
No final da celebração da Eucaristia foi inaugurado o novo espaço do recinto do santuário da Penha, que agora mais o embeleza, dignifica e o distingue como um dos mais belos do nosso país.


Família, escuta e anuncia a Palavra de Deus
A interpelação do Arcebispo de Braga no alto da Penha, estende-se a todos os santuários da arquidiocese, em desdobrável que nestes se distribui a todos os fiéis e, do qual, transcrevemos a seguinte oração:
Deus Santo, que em Teu Filho Jesus nos revelaste a ternura do teu coração, acolhe-nos em famílias estáveis e comprometidas que espelhem nas suas vidas a Caridade que de Ti nos vem.
Que a tua graça fortaleça os esposos, abrindo-os ao dom da família e ao compromisso de a testemunharem como “família que escuta e anuncia a Palavra de Deus”.
Senhor, que os jovens encontrem na “família um apoio inquebrantável” e preparem o coração, disponibilizando-o para o compromisso dum amor total e fecundo, fortalecido pela graça do Sacramento do Matrimónio, iluminados pela Palavra e alimentados pelo Pão que dura até à vida eterna.
Senhor Nosso Deus, Trindade Santíssima, princípio e fim do homem peregrino, abre-nos o Coração à compreensão e à felicidade da Tua palavra, oceano de ternura entre irmãos, na comunhão feliz de todas as famílias.
Tu, Maria, Mãe do Belo Amor, ensina-nos a receber e guardar no coração o Amor e a força da Palavra; suscita, ó Mãe, lares cristãos abertos aos apelos do Senhor para que os seus filhos abracem a vocação sacerdotal ou religiosa.
Que todos os cristãos procurem a formação cuidada, atenta e perseverante que lhe vem da Palavra e se ponha em prática a frase anunciada pelo Pastor Diocesano: “Família, escuta e anuncia a Palavra de Deus”.
Por Cristo, Nosso Senhor. Amen.

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.