Arquivo: Edição de 11-01-2008

SECÇÃO: Informação Religiosa

Arciprestado de Guimarães e Vizela

Tomada de posse dos Conselho Económicos Paroquiais
Terminado, em 31 de Dezembro último, o mandato dos Conselhos Económicos Paroquiais de todas as paróquias da Arquidiocese, tomam posse em assembleias gerais colectivas os novos titulares das paróquias do arciprestado de Guimarães e Vizela nos seguintes dias:
 
• Vice-arciprestado da Zona Norte: Salão Paroquial de São João de Ponte, dia 12, às 21,00h.
 
• Vice-arciprestado da Zona Centro: 25, às 21,00h, no Seminário do Verbo Divino.
 
• Vice-arciprestado da Zona Sul: Auditório da paróquia de São João de Vizela, dia 19, às 21,00h.

O Conselho Económico Paroquial é um orgão consultivo, constituído por um mínimo de três pessoas, íncluído o Pároco, e que, em conformidade com o Direito Canónico, ajuda, corresponsável e colegialmente, a cuidar de todos os bens da Comunidade e da sua aplicação nas atividades paroquiais.
1. É uma instituição obrigatória, e rege-se pelas normas do Direito Canónico e pelas disposições deste Estatuto.
2. O Pároco representa a Paróquia em todos os actos jurídicos, preside ao CEP, e assume a responsabilidade dos seus actos. Ele e o CEP são responsáveis diante da Comunidade paroquial pelo correto e pontual cumprimento de todos os deveres e obrigações que, por direito canónico ou civil, lhes são impostos.
3. O CEP, actualmente ainda designado por Fábrica da Igreja, administra todos os bens do Fundo Paroquial.
4. Se outra coisa não constar neste Estatuto, à paróquia equipara-se a quase-paróquia e ao Pároco o quase-Pároco ou quem legalmente o substituir.

O CEP é um órgão consultivo, colegial, instrumento de ajuda e de participação, que tem como finalidade auxiliar o Pároco na administração do Fundo Paroquial.

1. Deverá diligenciar para que os bens temporais recebidos da comunidade paroquial e de outras fontes sejam convenientemente administrados, segundo as prescrições do CDC, o Estatuto e as eventuais directivas emanadas pelo Bispo Diocesano.

2. O Conselho Económico não pode intervir em assuntos patrimoniais cuja apreciação compete a instâncias superiores, nem, nas Associações (v. g. Confrarias) ou Instituições (v. g. Centros Paroquiais) que existem no âmbito da Paróquia e, dotadas de personalidade jurídica, gozem de legítima autonomia administrativa, nem ao Benefício Paroquial enquanto não for integrado na Fábrica da Igreja, a não ser que, quando a este, o direito particular o exija ou o Pároco o consinta.

3. Os Centros Sociais Paroquias, criados por iniciativa da Fábrica da Igreja Paroquial e erectos canonicamente pelo Bispo da Diocese, regem-se segundo estatutos aprovados e têm administração própria, separada da administração da paróquia. O CEP tem, em relação aos mesmos Centros Sociais Paroquias, apenas as atribuições que lhe são cometidas no respectivo Estatuto.

Vice-arciprestado Zona Centro
Encontro de Crismados e famílias
No próximo dia 13, às 15,00h, no salão paroquial de Fermentões e a culminar as Visitas pastorais na Zona centro, o Senhor Arcebispo primaz e seus Bispos Auxiliares, D. Antonino Dias e D. António Couto, reúnem-se com os crismados e famílias do vice-arciprestado da Zona Centro.

Email do Jornal: jornal@oconquistador.com
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Dom DigitalProduzido por ardina.com,
um produto da Dom Digital.